Propostas Tributárias

Reforma Institucional

X

Ministro da Fazenda

Paulo Guedes

Doutor em economia pela Universidade de Chicago, foi professor na PUC-Rio e na Fundação Getulio Vargas (FGV), e um dos fundadores do Banco Pactual e do Insituto Millenium.

Marcos Lisboa

Doutor em economia pela Universidade da Pensilvânia, foi Secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda no Governo Lula. Atualmente é presidente do INSPER.

Josué Alencar

Engenheiro Civil e Advogado com MBA em Administração pela Universidade Vanderbilt, é presidente do grupo empresarial COTEMINAS e filiado ao Partido da República (PR).

*Os nomes mencionados não foram confirmados pelo candidato Haddad.

Ministério da Fazenda e Secretaria da Receita Federal do Brasil

Originalmente, previa-se a criação do Ministério da Economia a partir da fusão dos Ministérios da Fazenda, do Planejamento e da Indústria e Comércio Exterior e da Secretaria de Programa de Parcerias e Investimentos, subordinando as instituições financeiras federais ao novo Ministério. Segundo os últimos comentários de sua equipe econômica, é provável que o MDIC não integre o Ministério da Economia e mantenha uma pasta própria. A Secretaria da Receita Federal continuará com o mesmo status.
Continuarão como estão hoje.

Prioridades na Tributação

Redução do déficit público, redução da carga tributária incidente sobre o lucro das empresas e simplificação do sistema tributário. Pretende criar um novo imposto que reunirá o IPI e as Contribuições para o PIS/PASEP e COFINS. Este imposto único tem origem na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 474/2001, que unificaria todos os impostos para taxar apenas saques e depósitos. Contudo, após manifestações públicas de Paulo Guedes, em que se questionou a ressucitação da antiga CPMF, Jair Bolsonaro recuou da proposta, e restringiu aos tributos federais mencionados.
Simplificação do sistema tributário e revisão da carga tributária incidente sobre a renda das pessoas físicas. Usar o tributo como forma de redução das desigualdades sociais. Pretende criar um IVA que reunirá o IPI, o ICMS, o ISS e as Contribuições para o PIS/PASEP e COFINS.

Políticas de Desoneração e Incentivos Fiscais

Em geral, sua política será no sentido de rever as desonerações e alguns incentivos regionais, mas manterá a desoneração da folha de pagamento.
A proposta do candidato Haddad não traz comentários sobre os incentivos fiscais atualmente concedidos para diversos setores produtivos, porém faz menções à necessidade de uma reforma tributária verde, com o objetivo de incentivar e estimular industrias limpas, em detrimento de uma indústria poluidora.

Propostas Tributárias

Reforma Institucional

X

Ministro da Fazenda

Bolsonaro

Paulo Guedes

Doutor em economia pela Universidade de Chicago, foi professor na PUC-Rio e na Fundação Getulio Vargas (FGV), e um dos fundadores do Banco Pactual e do Insituto Millenium.

Haddad

Marcos Lisboa

Doutor em economia pela Universidade da Pensilvânia, foi Secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda no Governo Lula. Atualmente é presidente do INSPER.

Josué Alencar

Engenheiro Civil e Advogado com MBA em Administração pela Universidade Vanderbilt, é presidente do grupo empresarial COTEMINAS e filiado ao Partido da República (PR).
*Os nomes mencionados ainda não foram confirmados pelos candidatos.

Ministério da Fazenda e Secretaria da Receita Federal do Brasil

Bolsonaro

Originalmente, previa-se a criação do Ministério da Economia a partir da fusão dos Ministérios da Fazenda, do Planejamento e da Indústria e Comércio Exterior e da Secretaria de Programa de Parcerias e Investimentos, subordinando as instituições financeiras federais ao novo Ministério. Segundo os últimos comentários de sua equipe econômica, é provável que o MDIC não integre o Ministério da Economia e mantenha uma pasta própria. A Secretaria da Receita Federal continuará com o mesmo status.

Haddad

Continuarão como estão hoje

Prioridades na Tributação

Bolsonaro

Redução do déficit público, redução da carga tributária incidente sobre o lucro das empresas e simplificação do sistema tributário. Pretende criar um novo imposto que reunirá o IPI e as Contribuições para o PIS/PASEP e COFINS. Este imposto único tem origem na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 474/2001, que unificaria todos os impostos para taxar apenas saques e depósitos. Contudo, após manifestações públicas de Paulo Guedes, em que se questionou a ressucitação da antiga CPMF, Jair Bolsonaro recuou da proposta, e restringiu aos tributos federais mencionados.

Haddad

Simplificação do sistema tributário e revisão da carga tributária incidente sobre a renda das pessoas físicas. Usar o tributo como forma de redução das desigualdades sociais. Pretende criar um IVA que reunirá o IPI, o ICMS, o ISS e as Contribuições para o PIS/PASEP e COFINS.

Políticas de Desoneração e Incentivos Fiscais

Bolsonaro

Em geral, sua política será no sentido de rever as desonerações e alguns incentivos regionais, mas manterá a desoneração da folha de pagamento.

Haddad

A proposta do candidato Haddad não traz comentários sobre os incentivos fiscais atualmente concedidos para diversos setores produtivos, porém faz menções à necessidade de uma reforma tributária verde, com o objetivo de incentivar e estimular industrias limpas, em detrimento de uma indústria poluidora.
Translate »